sábado, 16 de agosto de 2008

MAUS-TRATOS EM PRISÃO DE IMIGRANTE CAUSAM INDIGNAÇÃO NA ITÁLIA

15/08/2008

Uma fotografia que mostra uma jovem prostituta africana presa causa comoção na Itália desde que foi publicada nesta semana no jornal La Repubblica. A imagem exibe uma nigeriana suja e abandonada em uma delegacia em Parma, no norte da Itália, e provocou a reação de políticos e associações de direitos humanos, que denunciam as medidas do pacote de segurança do primeiro-ministro Silvio Berlusconi.

A mulher foi detida em 9 de agosto, durante uma operação anti-prostituição. Segundo a polícia, ela foi encontrada "enquanto exercia a atividade". Como estaria sem documentos, foi levada à delegacia. "Como é normal, a nigeriana tentou causar pena nos policiais", afirmou ao El País o conselheiro de segurança de Parma, Constantino Monteverdi. "Primeiro, ela se sentou, e depois caiu no chão. Provavelmente teve uma crise de nervos", continuou.

De acordo com Monteverdi, não foi a primeira vez que a jovem foi levada pela polícia. "A Nigéria não a reconheceu" nas outras ocasiões, "e não se pôde expulsá-la", acrescentou. Na manhã seguinte, ela foi solta, segundo o jornal.

A reconstituição das autoridades, no entanto, parece não ter esclarecido totalmente o episódio. O opositor Partido Radical expressou sua indignação e enviou um documento ao Ministério do Interior buscando mais detalhes. Em uma carta aberta, os senadores Marco Perduca e Donatella Poretti questionaram se a operação anti-prostituição do governo Berlusconi seria de competência da polícia municipal, de acordo com o El País.

O presidente do Senado, Renato Schifani, também pediu explicações ao chefe policial de Parma. "Quem quiser adotar o princípio da tolerância zero não deve esquecer da dignidade e privacidade das pessoas", declarou ele, segundo o El País. "A dramática foto pode transmitir uma imagem de nosso país diferente da realidade", acrescentou.

O pacote de segurança de Berlusconi prevê poderes especiais para os prefeitos das cidades intervirem em situações de emergência contra mendigos e prostitutas. As medidas autorizam também a participação do Exército na segurança dos cidadãos, com a mobilização de 3 mil soldados que patrulharam as ruas, o que foi contestado pela oposição.

Estadão

Um comentário:

Cris disse...

Esses è um dos grandes problemas da imigraçao na Italia. Os paises de origem nao reconhecem seus cidadaos e a Italia nao tem pra onde enviar o povo.

Sinceramente, eu nao sei como resolver esse problema. De um lado tem um povo que foge da fome e de outro tem um outro povo que nao aceita mais imigrantes.

Um beijo pra ti